Fala do senador Jorginho Mello na cerimônia de filiação ao PL do presidente Bolsonaro


Eu tenho o privilégio nesse momento de falar em nome dos colegas senadores e da bancada federal. É uma responsabilidade muito grande. Quero dizer da minha alegria em poder estar fazendo uso da palavra neste momento.


Senhor presidente, o estatuto, o manifesto do Partido Liberal, que nasceu em 1985, no Rio de Janeiro, pelo nosso querido Álvaro Vale, onde homens e mulheres sonhavam com um Brasil com estruturas políticas voltadas para o serviço da pátria e a formação de uma sociedade mais justa e cristã, sob o bem mais precioso, que é a liberdade. Hoje sonhamos as mesmas coisas: Deus, pátria e família.


Ainda em 25 de junho de 1985, o PL convidava o povo brasileiro para o fortalecimento de um partido, para enfrentar a grave crise ética, social e econômica, deixada pelo socialismo cruel. E nenhuma parte do mundo deu ao seu povo o bem-estar social e a liberdade.


Este manifesto já previa em 1985, no seu nascedouro, as seguintes reformas: reforma tributária, que hoje está no Congresso Nacional. Reforma social, que hoje o Governo Federal chamou de volta o Bolsa Família, para remodelar, para expurgar quem não poderia receber e, dando através do Auxílio Brasil para o verdadeiro brasileiro que precisa.


Reforma agrária, já se previa a reforma agrária e agora está se dando terra para quem efetivamente quer trabalhar, quem quer ter calo na mão, não ocupar por ocupar para fazer baderna. Reforma radical do sistema de educação, hoje se vê o que se previa lá atrás, a degradação do ensino, a doutrinação de esquerda e a ideologia de gênero. Isso já estava lá atrás no manifesto de 1985. Vejam como o nosso manifesto de 85 era visionário. Também previa a reforma do judiciário.


Presidente Bolsonaro, o PL, o 22, o tigre, nunca esteve tão atual e tão pronto para lhe receber. Tenha a certeza absoluta que a sua eleição em 2018 rompeu esse estado de “coisa”, mas ainda falta mais um mandato para que o senhor possa livrar definitivamente o Brasil de regimes que escravizam e saqueiam o povo brasileiro.


É 22! Em 2022, presidente Jair Bolsonaro, é 22. Seja bem-vindo! Seja muito bem-vindo!

Presidente Valdemar, o senhor que soube conduzir, quero aqui citar o Salmo 128: “É com sabedoria que se constrói um lar.”; o senhor construiu o PL, com sacrifício, com luta, e é através dela é que se atrai líderes e com as bênçãos de Deus que é o mais importante.


Que Deus nos ajude. Seja bem-vindo, presidente Jair Bolsonaro. O senhor que é o nosso grande líder e vai fazer desse Brasil a maior nação do mundo.


Muito obrigado!

Veja:

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo