“Isso é antidemocrático” diz Jorginho Mello sobre quarentena eleitoral para policiais e juízes



Catarinense afirmou que trabalhará para retirar a proposta do código eleitoral quando for apreciada pelo senado


O senador Jorginho Mello (PL/SC) declarou nesta segunda-feira (20) que trabalhará para barrar no senado o trecho do texto do novo código eleitoral que impõe o afastamento de função por quatro anos de agentes da segurança pública, integrantes das forças armadas, juízes e promotores que pretendem disputar as eleições, chamada de quarentena eleitoral.


Conforme o parlamentar, esta medida é “absurda” e já havia sido superada durante a votação da câmara. Ele afirma ainda que a quarentena é ilegal, pois fere o princípio democrático.


- É um absurdo. Isso é antidemocrático, pois qualquer um, que não esteja com os direitos políticos suspensos, tem direito a se candidatar. Estou empenhado em barrar no Senado essa injustiça contra policiais, integrantes das Forças Armadas, guardas municipais, juízes e procuradores – antecipou o catarinense.


Na madrugada de quinta-feira, os deputados aprovaram por 273 a 211 o texto, de relatoria da deputada Margarete Coelho (PP), do Projeto de Lei Complementar 112/21. Agora com a aprovação, o senado deve apreciar a matéria nos próximos dias.

3 visualizações0 comentário